Thursday, 19 June 2014

Da mami poderosa

Nesta semana, temos esperança de que não somos espionados pelos Estados Unidos. O que foi mostrado pelo Fantástico no fim da semana, era do passado, mas hoje é hoje. E hoje estão fora de serviço centenas de milhares dos funcionários públicos dos Estados Unidos porque o Congresso norte-americano, dominado pelo Partido Republicano, opositor aos democratas do Presidente Obama, não quer soltar verbas para viabilizar os planos de saúde para todos, transformados em lei há 3 anos. E ai também não liberam pagamentos para pagar funcionários públicos em muitas das áreas, com algumas exceções, como defesa e segurança nacional.
Acontecendo isso nos Estados Unidos, chama-se exercício pleno da democracia. Se acontecesse no Brasil, esperamos que a moda não pegue, seria considerado jabuticaba da democracia. Seríamos criticado dentro e fora do país. Mas, a história acida não acabou. Se o Congresso norte-americano não votar o teto de endividamento dos Estados Unidos até o final da próxima semana, o país não vai poder pagar suas dívidas. Para simplificar: vai ser igual àqueles países africanos que devem ao Brasil e não pagam. Ou igual à Argentina, que entrou em default e declarou o não pagamento de suas dívida externa.

Os republicanos conservadores, que estão provocando esse maremoto, estão se lixando para o mundo. Aliás, os congressistas americanos, na maioria, não têm nem passaporte e preferem votar aumento de despesas militares do que despesas sociais. O negócio deles é derrubar o governo Obama, ou pelo menos enfraquecer, até o ponto de terem chance de ganhar a próxima eleição. O mundo não interessa, a crise que pode ser provocada, desta vez sem retorno a médio prazo, não lhes interessa. Contam só os interesses pessoais e ideológicos e dane-se o mundo.

 Como será  resolvido, ninguém sabe. Obama nomeou no meio da crise a primeira mulher a dirigir o Banco Central dos Estados Unidos, FED, chama os republicanos de irresponsáveis e está firme em não ceder. Os republicanos chamam Obama de irresponsável porque não cede. O fato é que os políticos norte-americanos fazem tudo sem se preocupar em nada, absolutamente nada, com o resto do mundo. Acham que a liderança monolítica deles é soberana e não querem entender que, se o mundo vai melhor, eles também melhoram. Provocaram a guerra no Iraque, a crise financeira que dura até hoje, mas lutam bravamente contra o terrorismo islâmico. Mas, o preço que pagamos para isso é a submissão total ao interesses deles. As escutas são parte menor do problema.  

Stefan B. Salej
9.9.2013.

No comments:

Post a Comment