Sunday, 12 April 2015

DO MERCADO

DO MERCADO Perguntando seja a quem for e onde for, a resposta é sempre a mesma: os negócios vão mal. E se para aqueles que vão bem, preferem dizer também que vão mal para não criar mais inveja e mau olhado. Mas, a verdade pode ser outra, se você olhar para o seu negócio de forma diferente. Primeiro, analise o que está mal. Na maioria dos casos está faltando cliente, freguês, que está disposto a pagar bem e em dia pelo seu serviço ou produto. Então, estamos falando do tal de mercado, ou seja o conjunto de consumidores ao qual você pode oferecer seus serviços ou produtos. E a primeira característica desse conjunto é que ele é muito dinâmico. Se você por exemplo for padeiro e está no negócio há 20 anos, seus clientes de vinte anos atrás estão vinte anos mais velhos, precisam ter mais cuidado com a saúde, as famílias cresceram, e pode ser que estejam passando por dificuldades financeiras que não conheciam há vinte anos atrás. Você que é dono de uma empresa prestadora de serviços e produtos para uma empresa maior, por exemplo a CEMIG, PETROBRAS ou USIMINAS, sabe que os tempos mudaram e as empresas mudaram. Essas grandes empresas transformam-se com mais rapidez do que o esperado e também são mais sensíveis às crises macro-econômicas, como a que o Brasil está enfrentando hoje em dia. E como se adaptar a essas mudanças que são uma constante do empresário ou do empreendedor brasileiro? Comece mais uma vez com a sua mudança, ou seja, você aceitando que precisa mudar. "Em time que ganha não se mexe" é uma velha mentira para perder o próximo jogo. As mudanças têm que ser feitas enquanto as coisas estão bem. E a primeira é a revisão do seu mercado. Seus clientes continuam fieis a você ou já debandaram e estão fazendo negócios com os concorrentes? Por que? Uma análise simples, não precisa usar analytics da Google e outros instrumentos sofisticados, vai lhe dar as respostas, se você fizer as perguntas certas. E olhe que os seus concorrentes estão fazendo. Concorrência é coisa seria e tem que ser acompanhada com muita atenção. E o próximo olhar é geográfico. O Brasil tem a vantagem de ser um país grande, com 200 milhões de habitantes e mercados diversificados. O pessoal do Sul e do Triângulo Mineiro tem à sua disposição o maior e melhor mercado da América Latina, São Paulo. Os do norte de Minas estão perto da Bahia, e os da Zona da Mata, do Rio de Janeiro. E enquanto estamos preocupados em exportar, onde todos dizem que ajudam, estamos deixando o grande mercado brasileiro para os concorrentes. Vamos conquistar o Brasil? STEFAN SALEJ Empresário e consultor internacional Ex-Presidente da FIEMG e SEBRAE Minas www.salejcomment.blogspot.com

1 comment:

  1. Hoje li sobre a trajetória da PEMEX, de fornecedora de cimento e concreto transmutou se em fornecedora de soluções para seus clientes. Foi comprando os concorrentes e incorporando o conhecimento destes em seu modo de ser PEMEX.
    Claro que o resultado se deve ao trabalho de centenas de executivos que trabalham sob a orientação de seu "CEO". Mas foi no fundo a visão dos "CEOs" que com o trabalho afinado de seus comandados que levaram ao sucesso.
    Existe no mercado a falácia de que ninguém é insubstituível. Depende. Se estamos falando de serviços básicos em chão de fábrica, talvez possa ser válida.
    Mas no comando de uma empresa cada CEO tem seu desempenho particular.
    Dependemos da iluminação destes, para não precisar culpar o mercado pelas nossa mazelas.

    ReplyDelete