Thursday, 15 November 2012

Das minas e mineracoes



Das minas e minerações

Da terra não vêm só alimentos. Dependendo do clima, há mais de uma safra. Dependendo de como se trata a terra, ela sempre produz para a nossa sobrevivência. Mas a terra também tem minérios, cuja transformação é outra base de sobrevivência humana e de progresso. E o negócio de mineração no mundo inteiro esta vivendo uma fase de reflexão ou crise.

Em primeiro lugar, a  exploração desenfreada, que gera desenvolvimento desigual, seja dentro de um país minerador, seja em termos regionais, não terminou. Criaram-se grandes empresas mineradoras que dominam a exploração mineral no mundo.Quatro ou cinco, entre as quais esta incluída a brasileira Vale. Projetos gigantescos, investimentos também  gigantescos, lucros enormes, e problemas ambientais e sociais também. Os chineses sempre tiveram noção exata da importância das materiais primas, pois foi com a exploração de tungstênio que Mao financiou a revolução. Hoje exploram bem o mundo inteiro para que sua industria progrida: exploram trabalhadores, terras, meio ambiente e em nada diferem dos exploradores que dominavam o negócios há séculos.

A África está infestada de investimentos que na maioria das vezes são a consequência de uma relação política incestuosa. Os escândalos das empresas brasileiras nas terras africanas, relatadas pela imprensa brasileira, são a ponta do iceberg  de um setor que precisa ter um  modelo de negócio do século 21 e não do século 19, como disse a ex-diretora do Banco Mundial, a sul-africana dr. Ramphele. Na África do Sul, com greves constantes e violentas nas minerações, a questão ainda se torna mais difícil de ser resolvida. E o paradoxo das minas de platina paradas é que, com greves, a produção para, e a falta de produto eleva o preço.

O mundo está cada vez mais dividido entre fornecedores de matérias primas e processadores. O fosso entre esses setores é cada vez maior. Para as regiões mineradoras, urge rever suas políticas de desenvolvimento, seja no Brasil, na África ou na América Latina. O papel do estado como concessionário de riquezas minerais e  as suas compensações devem ser revistos. E as relações sociais, entre quais o fato de que as regiões mineradoras, segundo os  dados de Banco Mundial, apresentam sempre o menor índice de desenvolvimento, devem ser revistas.

Não custa nada lembrar o velho refrão: o minério não dá duas safras. 

Stefan B. Salej
15.11.2012.

No comments:

Post a Comment