Friday, 6 January 2017

DA ARGENTINA, VIZINHO IMPORTANTE

DA ARGENTINA, VIZINHO IMPORTANTE

Enquanto ate barbeiro na esquina fica preocupado com a próxima entrada do governo Trump nos Estados Unidos, pais mais poderoso do mundo, esquecemos que sem diminuir a importância do gigante do norte, é a situação econômica e politica da Argentina que nos afeta em muito mais. Um ano apos a entrada do popular presidente argentino Macri derrubando o reinado dos 12 anos da dinastia corrupta dos Kirchners, o que sobrou das promessas e o que é realidade argentina hoje.

Como em geral acontece a fluidez de discurso na campanha, se transforma em dificuldades na hora de governar. Macri entrou com muita esperança ,muitas promessas e num mar de muitas dificuldades seja do ponto de vista politico ou econômico. Algumas medidas de impacto, como a solução de disputa com fundos de investimentos na justiça norte-americana que impedia o acesso da Argentina ao mercado internacional de financiamento, foi resolvido. Também foi eliminada a taxa de exportação dos commodities agrícolas, que impedia o crescimento de plantio e expansão das exportações. E no campo politico deixou livre o caminho judicial para processar os governantes anteriores por corrupção e abuso do poder. E liberou cambio também eliminando algumas barreiras para importação além de limpar infame maquina de falsificação de dados estatísticos Indec.

Mas, na Argentina não se pode desprezar forcas politicas do peronismo, sindicalismo ligado a peronistas, a legislação oriunda ainda da época que o pais era 4 maior potencia mundial e achava que podia desperdiçar os recursos a vontade porque o dinheiro nunca ia acabar. Na verdade os Kirchner representam essa continuidade populista que o governo Macri procurando a modernização do pais procura.

De um lado aumentou a produção agrícola e os exportadores argentinos proclamam com aquele entusiasmo futebolístico que conhecemos que estão derrubando os Estados Unidos e Rússia nos mercados de trigo, mas eles também se tornarão nossos concorrentes. Já na indústria, onde a complementaridade é maior, a boa noticia é crescimento da indústria automobilística. Em 2013 Argentina registrou 964 mil veículos novos. Depois teve uma queda brutal, e no ano passado já ouve crescimento em relação a 2014 e o total de veículos registrados foi 790 mil com VW no primeiro lugar e Fiat no quarto lugar.
Grande vilão da economia argentina é a inflação que este ano atingiu 40 % e a previsão oficial é de 17 % para próximo ano.

Resumindo, Argentina indo bem, é fundamental para  Brasil econômico e politico. Inclusive que como parceiros no Mercosul não vamos alcançar acordo com União Europeia sendo os dois sócios principais enfraquecidos politicamente e economicamente.

STEFAN SALEJ

6.1.2017.

No comments:

Post a Comment