Sunday, 25 December 2016

DO ANO DE TERROR E ESPERANÇA


DO ANO DE TERROR E ESPERANÇA

Escrever no fim deste ano, e ainda por cima um artigo a ser publicado sobre os eventos do ano que passou, no domingo de Natal, é sem dúvida uma tarefa das mais complexas para o colunista. O ano não foi atípico só no Brasil, onde saiu a Presidenta por impeachment e entrou um vice com chance de sair. A economia que no mundo inteiro se recupera, no Brasil continua com esperança de recuperação, com sorrisos marotos nos prometendo com micro medidas macro resultados. É a política econômica band-aid, de olho nas delações premiadas dos políticos e empresários que pagam qualquer preço para sair do emaranhado de corrupção em que se meteram. E sem falar no Congresso, cujo ex-presidente também está preso, que cada noite nos surpreende com mais atos contra o cidadão e o país do que a favor. Em resumo, um ano que no Brasil nem de longe terminou e que vai se arrastar como a sujeira do Rio Doce, provocada pela queda da barragem da Samarco.

Mas esse retrato desastroso do Brasil, quando colocado no mundo, a não ser no campo do campeonato da corrupção, da limpeza jurídica e da economia, tem uma outra componente diferente, que abre uma janela de tranquilidade. Fizemos os Jogos Olímpicos com tranquilidade e com perfeição. E se olharmos o balanço do mundo, onde só nesta última semana houve um atentado em Berlin, a morte do terrorista que provocou o atentado, na Itália, o assassinato do embaixador da Rússia na Turquia, a reconquista da cidade de Allepo na Síria pelas forcas governamentais, com êxodo de milhares de pessoas, e o sequestro de um avião que acabou na Malta, ainda podemos dizer que por aqui está tranquilo.

Sem mencionar os atentados na Bélgica, Estados Unidos, e Franca, os conflitos na Líbia, Iraque, Afeganistão, Ucrânia e Síria, a queda do avião no Egito e mais e mais, podemos dizer que efetivamente o mundo está sem paz. Dizer que estamos em guerra, talvez seja forte demais, mas que hoje quando se viaja tem que tomar cuidado, não há duvida alguma. O mundo esta conturbado. A segurança interna vai exigir uma nova postura e o caso do ataque em Berlin mostrou claramente isso. As sociedades democráticas terão que se reorganizar para proteger melhor seus cidadãos contra os extremistas e terroristas. Aliás, a Europa sempre teve seus extremistas: vamos lembrar que a Primeira Guerra Mundial começou com o terrorismo nacionalista sérvio.
O novo retrato do horror no Oriente Médio e na Europa não está pronto para ser pintado. Só vai ficar pronto com as eleições na Franca e Alemanha no próximo ano, quando o tema do combate ao terrorismo será um divisor de águas.

E a esperança? Bem, fora dos assaltos, sequestros, Lava Jato, expansão do narcotráfico, pelo menos o Brasil está livre de terrorismo. Mas, está mesmo? Vale a pena acreditar na paz, mas vale a pena ainda mais lutar para que tenhamos uma sociedade em paz.

No comments:

Post a Comment