Sunday, 5 July 2015

DA AMÉRICA PODEROSA

DA AMÉRICA PODEROSA A notícia mais importante da semana no cenário internacional só vai sair no domingo à noite, quando as urnas fecharem na Grécia e sair o resultado do referendum sobre o acordo com os credores. Essa situação grega desnudou toda a fragilidade da União Europeia, as relações financeiras e econômicas entre seus membros e a preponderância de uma política monetária não só de austeridade mas principalmente de manutenção de certos países em permanente sub-desenvolvimento em relação ao líderes do desenvolvimento. Mas, o que isso tem que ver com a visita sorridente da Presidente Rousseff aos Estados Unidos? Muito mais do que se imagina, mesmo que o Presidente Obama só tenha mencionado rapidamente o assunto na entrevista coletiva dos dois. Um, que o Brasil, mesmo sendo tratado pelo Obama como potência global, não faz parte de nenhuma solução do problema grego. Mesmo nos organismos multilaterais como o FMI, o nosso voto e a nossa voz estão sem maior significado. Dois, que a quebra da União Européia, com eventual saída da Grécia, ou, como estão chamando o processo, a total reformulação da União Européia, atinge o nosso segundo mais importante parceiro comercial. E ainda mostra como o mundo continua o mesmo: manda quem pode e obedece quem deve. Como a situação cambial brasileira está deteriorada, as eventuais soluções, e veja o que aconteceu com a Argentina, se assemelham em muito ao processo grego. Não tenhamos dúvida de que ninguém vai agir de forma diferente, se o Brasil tiver dificuldades, do que como estão agindo com relação à Grécia. Como aquela propaganda, você pode ser o eu de hoje, amanhã. Quando Obama elogia o Brasil, dizendo que somos potência global, está dizendo que a liderança regional está hoje, como sempre esteve, nas mãos dos Estados Unidos. Antes da visita presidencial brasileira, aliás de pouco destaque na imprensa mundial, Obama teve uma semana feliz e, como ele mesmo disse, melhor só foi a da sua lua da mel. Caiu o índice de desemprego, o Supremo Tribunal de Justiça liberou geral o casamento de pessoas do mesmo sexo e mais alguns outros ítens. Mas, nos dias seguintes vieram outras notícias: as abertura das embaixadas de Cuba e Estados Unidos nos respectivos países, conversações meio secretas com os venezuelanos, e mais a visita do presidente do Vietnã comunista, o aliado fiel de Washington no Leste Asiático. Assim, estamos de volta ao ciclo de amizade eterna com os vizinhos do Norte, que geram no Brasil mais de 500 mil empregos diretos e têm investimentos superiores a 400 bilhões de dólares. Haja independência com tanto dinheiro investido aqui. Stefan Salej 4.6.2015.

No comments:

Post a Comment