Sunday, 8 March 2015

DO DÓLAR QUE TE QUERO VERDE

O dólar que te quero verde


O dólar sobe, o dólar desce, e o real fica onde? O dólar está onde sempre esteve, nem desce e nem sobe em relação ao real. O que se valoriza, ou seja sobe, ou desvaloriza, ou seja desce, é o real, a nossa moeda. Complicado? Não. O real valorizado é quando você precisa de menos reais para comprar um dólar. Como quando um dólar valia 1 real e 50 centavos. E o real desvalorizado é ao contrário. Como agora que você precisa de 3 reais para comprar um dólar.

E na vida cotidiana, que influência tem isso? Todos os produtos e serviços que possuem componentes comprados no exterior  e pagos em moedas estrangeiras ficam mais caros. Ou seja, não é só produto chinês, mas também viagens e, por exemplo, automóveis, que tem uma boa parte de seus componentes importados, sobem de preços. Alimentos que são produzidos com máquinas que tem componentes importados ou insumos como fertilizantes importados, idem. E assim, numa economia brasileira bastante internacionalizada, ou seja com muitos produtos e componentes importados, a influência da desvalorização do real  nos preços é grande.

Do outro lado da balança, os exportadores recebem mais pelos seus produtos e serviços. O dólar que entra gera mais reais e sempre nessa situação os exportadores podem ser beneficiados. E teoricamente os produtos brasileiros se tornam mais baratos em relação aos importados, dando uma folga à indústria nacional.

Nas regiões onde tem indústria e agricultura  orientadas à exportação, há sempre uma vantagem a mais. É o caso do Sul de Minas e do Triângulo Mineiro. As duas regiões tem tanto agricultura como indústria orientadas para o mercado mundial e com isso estão neste momento com receitas maiores do que há dois anos. E dessa situação podem se beneficiar todos, quando a re-orientação da indústria de exclusivamente para o mercado nacional para o mundial, acontece com  sucesso. Caso típico é o do Vale de Eletrônica no Sul de Minas, onde esse processo está em curso.

E a especulação com dólar. Vale a pena ter dólares como poupança. Ou euros, que foi a poupança do Comendador José Alfredo, roubados e guardados numa piscina, como mostrou a novela Império. Se você importa ou usa produtos que tem componente importado, tem que acompanhar esse mercado sim. E se você for exportador, também. Mas, a especulação é, como todo jogo, para os profissionais. Você ter na sua carteira uma parcela em moeda estrangeira pode ser bom, mas você deve saber quando é a hora de se desfazer e comprar outro ativo.

No Brasil, o valor da moeda é determinado também por fatores externos. O dólar está se valorizando em relação a todas as moedas estrangeiras, não só em relação de real. Mas, também no Brasil a queda de exportações e a especulação de que governo vem sustentando um valor irrealista do real, levou à diminuição de reservas. Ou seja, o Brasil tem pouco dólar. E se algo falta, o preço sobe.

Stefan Salej
consultor internacional
ex Presidente da FIEMG
www.salejcomment.blogspot.com

No comments:

Post a Comment