Sunday, 22 March 2015

DAS GUERRAS E AGUA

DE GUERRAS E AGUA

Todo arranjo geo politico leva em consideração as aguas. Sejam rios, mar, lagos, nascentes de rios, aguas subterrâneas, e todas as outras formas que nos permitem acesso a agua. E não existe nenhuma estratégia militar aliada a estratégia politica que não leve em consideração estes aspectos. E mais: sem agua não ha sobrevivência humana, não ha desenvolvimento econômico, não ha vida. Simples assim.

E quanto destes preceitos são colocados em pratica pelas nações é que determina o seu grau de desenvolvimento.  Nações fortes e desenvolvidas tem politicas referente agua, seja doce ou salgada, como a base de sua politica de sustentabilidade. Os países não esperam chegar a crise de agua, seja nos lares, seja na indústria, seja na agricultura, mas planejam seu desenvolvimento em torno de recursos hídricos. Bom exemplo disso é Israel, um pais essencialmente sem agua e com pouco mar. Os israelenses  logo apos a sua independência em 1948 fizeram uma rede de aquedutos e sistema de abastecimento que foi a base de seu desenvolvimento agrícola, de assentamentos humanos e de indústria.

Na grande crise econômica de 1929 nos Estados Unidos, o governo do Presidente Roosvelt iniciou um programa no Vale Temesse, em curso ate hoje e que mudou a face de desenvolvimento daquele pais. Alias,  não é de hoje que a preocupação com agua era a preocupação fundamental dos governantes: ainda ha cidades  europeias que tem a rede de agua e esgoto feitos pelos antigos romanos. E a rede de aproveitamento de agua de Paris, que vale a pena visitar, foi feita ha mais de um século e é um exemplo de reaproveitamento de agua.

No Brasil   não ser  a crise deste ano, não se tem consciência nem da riqueza que a agua representa, e nem de ameaça que é, devido  a ausência de politica e a gestão adequada. Você já ouviu que Congresso Nacional debatesse  esta questão e criasse uma politica de gestão de aguas no Pais? Claro que não, porque só se debate, quando falta. A quantidade  de órgãos que cuidam da questão inclusive Agencia Nacional de Aguas, ANA, é enorme e todos eles só tratam de regulamentos e obras. Alias, a transposição de Velho Chico, faz parte deste imbróglio.

E mais, agua custa. E quem usa, tem que pagar. E por aqui quem abusa do uso, como mineradoras, e provocam desastres ecológicos, é que pagam menos e tem mais atenção do governo do que todo o sistema de saneamento e sustentabilidade do pais inteiro.  A ultima crise de agua no Brasil pela maneira que administramos este bem precioso da vida, não nos ensinou nada. Então,  nem São Pedro vai cuidar de nossas aguas.

Stefan SALEJ
19.3.2015.

No comments:

Post a Comment