Thursday, 19 June 2014

Da Copa na Cidade do Cabo

Estar alguns milhares de quilômetros da Pátria amada, de outro lado do Oceano Atlântico, onde há quatro anos atrás também tinha Copa, é uma sensação única de ver as coisas de longe e de uma forma teoricamente mais objetiva. Teoricamente porque os últimos tempos ninguém se dirigia a um brasileiro na África do Sul, e provavelmente também nos outros lugares, sem perguntar : e a Copa? E mais: os mil brasileiros e amigos do Brasil que se juntaram no Clube Alemão da Cidade do Cabo com direito a cozinha,quibe e  caipirinha original com cachaça Germana na quinta-feira para torcer para Brasil, deixaram claro que não importam três bilhões de pessoas que viram jogo inaugural da Copa no mundo inteiro, mas importa cada  brasileiro em cada canto longe da Brasil que está agora em evidência porque a Copa está no Brasil.

A vista da Copa do mundo é bem interessante. E vista da África do Sul onde após o jogo de quinta-feira no horário local já passando de meia noite passa na Cidade do Cabo por um estádio lindo, iluminado por lua cheia, começa a pensar como vai ser após a Copa. A bola está rolando no campo, na grama de futebol, mas na verdade a bola rola mais fora do campo. Críticas a organização fazem parte do jogo e a FIFA com seu modelo de negócios de hoje foi concebida por um ilustre brasileiro, João Havelange, e executada por esta turma que está aí. E mais, esta 20 Copa caiu não só no meio de eleições no Brasil, mas também no meio das eleições da própria FIFA. Portanto, desmoralizar atuais dirigentes para que não tentem ganhar a eleição, é outra faceta do jogo.

Se Brasil aproveitou bem os 35 bilhões de reais de investimentos na Copa do ponto de vista econômico e de seu desenvolvimento, é uma questão ainda sem resposta. Os patrocínios esportivos somaram mais de 3 bilhões de reais.  Houve adoção de inúmeras tecnologias tanto na área de segurança, como avião não pilotado no Rio de Janeiro, como nas outras áreas. Quantas das empresas brasileiras melhoraram a sua competitividade com o conhecimento que adquiriram na Copa e poderão exportar estes conhecimentos, é também uma pergunta sem resposta.

Muitos dos patrocinadores aproveitaram junto com alguns exportadores a imagem de futebol e da Copa para aumentar as suas exportações. Guaraná Antártica nas prateleiras do supermercado na Cidade do Cabo, é um exemplo disso!  E mais os produtos artesanais levados pelos donos de Pão de Açúcar para França, é outro exemplo. Teoricamente muito exportadores aproveitaram a Copa para colocar seus produtos no exterior.

Os estrangeiros vêem Brasil como Brasil é, diferente e por isso mesmo interessante. A vinda de muitos dignitários estrangeiros para Copa também dá a chance de avançar nas relações com esses países. Claro que para isso precisa ter a pauta para dar resultado. A Copa é gol, seja no campo, seja nas relações econômicas internacionais, seja na exportação ou tecnologia. É gol que conta!

Stefan B. Salej
13.6.2014.

No comments:

Post a Comment