Wednesday, 30 January 2013

BASTA DE ASSASINATOS DE JOVENS.



Do Brasil irresponsável

As mortes trágicas dos jovens em Santa Maria repercutiram no mundo inteiro. Não houve um único veículo de comunicação que não acompanhasse a tragédia. Até os acontecimentos na Síria, Afeganistão e Iraque perderam nestes dias destaque. Os desastres naturais que têm castigado o mundo ficaram em segundo plano. A tragédia de Santa Maria vai marcar a história do Brasil para sempre. É uma tarja preta colocada na linha de tempo do país.

Por que tamanha repercussão? Não foram só as mortes que assustaram, o que já bastaria por si só. O que assustou e chocou o mundo foi que o país que vai sediar  a Copa das Confederações, Copa do Mundo e as Olimpíadas, tem um sistema frágil de proteção à vida. A vida é que não vale nada no Brasil. Não precisa haver conflito armado para que se percam vidas no Brasil. Vão-se no trânsito, nas estradas, na violência do dia a dia, nos acidentes de trabalho, principalmente na construção civil, e também em desastres naturais. São bueiros, bocas de lobo cobertas pelo lixo não recolhido que transbordam os riachos e derrubam as casas. Belo Horizonte tem mais assassinatos  num mês do que há mortos no Iraque.

Agora começa a caça aos culpados. As leis é que são frouxas, a legislação é que permite abusos, a fiscalização é que não é exercida de acordo com a lei, são os fiscais e os bombeiros que não têm meios de fiscalizar, é a corrupção e a irresponsabilidade dos empresários e outros envolvidos. Em resumo, a lista é longa, o jogo de empurra enorme, mas as vidas não voltam e o Brasil está perdendo seus jovens. Criou-se o medo de ser jovem e exercer a juventude. Criou-se o medo de se divertir no Brasil.

A tragédia há dez anos em espaço de shows em Belo Horizonte não gerou correções. Nada apreendemos com as tragédias. Os políticos colocam filhos inexperientes para dirigir programas de responsabilidade como a organização da Copa, os controles continuam frouxos, a corrupção solta e ninguém fez nada para, com rigor e responsabilidade, garantir que não haverá novas Santas Marias ou Belo Horizontes.

Os empresários precisam fazer uma auto-avaliação de tudo o que se  refere a responsabilidade nesses casos. Essa tragédia mostrou que somos um país de irresponsáveis, relapsos e  despreparados para oferecermos segurança à população e  quiças aos visitantes. Quem garante que o poder público, empresários e outros envolvidos na organização de eventos e na vida quotidiana em Minas diferem dos que provocaram a tragédia no Sul? Pelo comportamento de hoje, o que os está salvando é a sorte, mas não um esforço racional de dar valor à vida. Ainda há tempo de agir antes de perdermos toda a credibilidade e mais vidas.

Stefan B. Salej
30.1.2013.       

6 comments:

  1. lConcordo inteiramente com as suas colocações; realmente estamos vivendo uma época dificil e nos sentimos impotentes diante de tanto descalabro; precisamos de lideres descompromissados com o estado atual em que se encontra o Brasil e que possam sensibilizar as mentes dos brasileiros não comprometidos com a corrupção que assola o país; só assim será possivel superar tanta dificuldade.Aloysio

    ReplyDelete
  2. Caro Stefan,
    Estamos todos de luto pela tragédia de Santa Maria, mas eu sinceramente discordo da generalização do seu artigo, pois não é o Brasil que é irresponsável e nem a maioria de seus habitantes.
    Tragédias iguais a essas já aconteceram nos Estados Unidos e na Europa e nem por isso se pode dizer que sejam irresponsáveis por isso. Há sempre uma sucessão de erros nesses casos e a soma deles motiva os eventos, onde há sempre muita improvisação e imprevisão.
    Tem havido uma escalada da violência sim, mas essa a meu ver em razão do crime organizado e do narcotráfico que está se expandindo, sem que haja um plano de defesa por parte das autoridades e da sociedade.
    Da mesma forma não concordo que o Tiago Lacerda por ser jovem não tenha capacidade para gerir o projeto da Copa em Belo Horizonte. Ele é um rapaz brilhante, casado, pai de família, administrador e já provou sua capacidade. Ele tem se saído muito bem a meu ver e opinião dominante na cidade.
    Belo Horizonte e o Estado de Minas Gerais devem ser os mais adiantados em termos de obras e trabalhos necessários à organização e funcionamento da Copa de 2014.
    Lamento mas a meu ver você está totalmente enganado.
    Abraços.

    Ordélio Azevedo Sette

    ReplyDelete
  3. Totalmente de acordo, Stefan! Uma tristeza se abate sobre todos nós ao ver que massacres como este ocorrem no Brasil. Minhas filhas que moraram na Inglaterra, anos atrás, me disseram que lá, em eventos similares, inexistem as comandas de consumação. As pessoas pagam diretamente ao garçons e às balconistas e não existe nada a pagar quando se deixa o estabelecimento. Aqui no Brasil, ao que parece, os proprietários do estabelecimento temem que os garçons e os recepcionistas de balcão embolsem o dinheiro sem registrar devidamente o consumo e daí a necessidade das comandas a serem acertadas no final. Como resultado não há portas amplas de saída, desinpedidas, que possam esvaziar um ambiente daqueles em menos de cinco minutos. Enfim, por falta de confiança nos garçons e nos balconistas, a alternativa que restou foi a de chacinar centenas de jovens numa verdadeira câmara de gás! Que absurdo!!!
    Newton de Mello

    ReplyDelete
  4. Prezado Sr. Salej, gostaria de partilhar um blog artigo da uma brasileira que está viver na Espanha. Ao fim, é só uma iliustração concreta do que você escreve: http://brasilcomz.wordpress.com/2011/07/06/por-que-e-tao-dificil-ter-vontade-de-voltar-a-viver-no-brasil/
    Com comprimetos, Giedre

    ReplyDelete
  5. Não sei se o seu questionamento deve ser assim tão generico e apenas voltado para o Brasil. O que aconteceu em Santa Maria não foi uma "matança" no sentido literal da lingua portuguesa. Foi uma catastrofe.
    E que ja ocorreu recentemente em vários locais, iguais ao de Santa Maria, em cidades e países de maior poder economico. O Senhor sabe disso.
    Esta catastrofe, infelizmente, está referenciando as autoridades competentes do Brasil e do mundo inteiro para a avaliação dos projetos arquitetonicos das casas de shows frequentadas, em especial, pelos jovens.
    Isto, é claro, não justifica a irresponsabilidade de todos.

    Respeitosamente,

    Elisabeth Bronfeb

    ReplyDelete
  6. Caríssimo Salej,

    É realmente muito triste o que aconteceu em Santa Maria.

    Acontecimento como este deverá ser avaliado pelas autoridades de forma mais detalhada, incluindo, os aspects contaminantes destes recintos, muitas vezes obscuros para a sociedade, rolando bebidas alcoolicas, drogas, e outros problems que deterioram a juventude.

    Somos favoráveis a festas e comemorações, claro, entretanto, a maioria destas "baladas" são destrutivas para sociedade.

    Meu caro Salej, estamos trabalhando muito em projetos ambientais, e quando vier a BH, nos procure para conversarmos.

    Veja o nosso "site", que vai gostar de nossas experiencia e projetos: www.yks.com.br

    Um abraço,


    ReplyDelete