Thursday, 25 October 2012

VAI TER ELEICAO.NOS ESTADOS UNIDOS.



Das eleições americanas

Daqui a uma semana, os cidadãos dos Estados Unidos voluntariamente irão às urnas para escolher um novo Congresso, uma parte do Senado e o Presidente. A eleições para o Congresso ocorrem a cada dois anos, para Presidente a cada quatro anos, e o mandato dos senadores é, diferentemente dos deputados, que é de dois anos, de quatro anos. A eleição mais visível é obviamente a eleição para Presidente.

Neste ano, o Partido democrata apresenta seu candidato à ré-eleição Barack Obama e o Partido Republicano, o ex-governador de  Massachutes, onde moram muitos brasileiros, Mitt Romney. Os três debates na televisão, ao vivo e a cores, mostraram que os candidatos estão bem preparados e conhecem os assuntos de interesse do eleitorado. Os debates foram vigorosos, o linguajar educado porém muito agressivo e quase sem tabu nos temas. Nenhum dos dois deu a mínima chance para o outro ganhar um voto a mais. E o resultado das pesquisas é que Presidente Obama tem ligeira vantagem sobre Romney. Mas, essa vantagem não permite nenhum erro até as urnas fecharem. O que vai definir o voto final serão ainda os dados econômicos, como emprego e o custo de vida, especialmente de alimentos. A renda média dos americanos caiu 8 % nos últimos 50 anos.

Apesar de muito debate sobre política externa, em que a América Latina foi mencionada só uma vez e de Cuba ninguém lembrou, o voto será decidido pela oportunidade de criar empregos e com isso dinamizar a economia. Esta é a principal preocupação dos americanos, dos quais aproximadamente 30 % já são de origem latina. Romney alega que vem do setor privado, onde na realidade era especialista em reorganizar e fechar empresas falidas, e que portanto é mais capaz de criar empregos. Obama demonstra que não só trouxe de volta empresas que foram para China, mas que evitou a quebra da General Motors, entre outras.

A escolha do presidente norte-americano e, consequentemente, suas políticas econômicas e sua visão do mundo, é fundamental para o Brasil. Não se resume à questão de vistos. Os Estados Unidos ainda são o gendarme do mundo e a locomotiva da inovação e da economia. Os BRICS podem ser importantes, podem ajudar muito, principalmente a China, mas estão longe de serem a locomotiva da economia mundial. O crescimento norte-americano não só gera mais exportações brasileira, mas também mais investimentos. E os dois juntos pode  gerar mais empregos no Brasil. E a atitude militar americana como no exemplos de guerra do Iraque, pode gerar mais ou menos paz no mundo.

Agora é esperar o resultado de urnas.

Stefan B. Salej

24.10. 2012.

No comments:

Post a Comment